Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

AMI - Age, Muda, Integra

Sri Lanka – Cinco anos após tsumani ajuda humanitária continua

 

Press Release

 
Passados cinco anos sobre o Tsunami de 26 de Dezembro que assolou o sudoeste asiático causando mais de 300 mil mortes, ainda existem trabalhos humanitários em curso. A Assistência Médica Internacional (AMI) continua a apoiar várias estruturas sociais no Sri Lanka para que a recuperação das mais de 40 mil famílias afectadas pela catástrofe seja sustentada, duradoura e as cicatrizes da memória gradualmente desapareçam. Após aquela que foi uma das mais prolongadas missões de emergência da ONG portuguesa que, em 48 horas, fretou um avião levando para o terreno uma equipe de oito elementos e 10 toneladas de alimentos e material de campanha, a AMI tem vindo, desde então, e de forma sustentada, a apoiar seis organizações locais a desenvolverem dezenas de projectos sociais tão diversos quanto importantes e essenciais. Desde a ampliação de um orfanato até à atribuição de microcrédito a 250 pessoas de 8 aldeias, passando pela criação de um centro social, a ajuda humanitária não parou ao longo destes cinco anos, pois as sequelas da tragédia ainda estão bem presentes no tecido social e na memória colectiva do povo do Sri Lanka.
 
As crianças têm sido uma das preocupações da AMI, especialmente em cenários de catástrofe natural, por constituírem um grupo especialmente vulnerável, sobretudo num contexto particularmente difícil como é a perda de familiares e habitação. Dos projectos desenvolvidos no Sri Lanka pela ONG portuguesa destaque para a parceria com o orfanato St. Vicent´s Home que acolhe cerca de 200 crianças, em Maggona, e a construção de um edifício de dois andares no orfanato D. Bosco Boys Home, aumentando assim a capacidade de acolhimento desta estrutura de 96 para 160 crianças.
 
De destacar ainda a criação pela AMI da fundação Portugal-Sri Lanka Burgher Fundation que desenvolve actividades na área de formação técnica e capacitação da população e ainda do Centro Social e Cultural D. Lourenço de Almeida, dedicado à educação, formação e desenvolvimento de projectos e actividades socioculturais.
 
Recorde-se que no dia 26 de Dezembro de 2004, vários sismos seguidos de tsunami ocorreram no sudoeste asiático, provocando um efeito devastador em 11 países do Oceano Índico, com milhares de mortos, desaparecidos, deslocados e sem abrigo. O Sri Lanka foi um dos países mais afectados por esta tragédia, tendo o seu governo declarado estado de emergência e lançado um pedido de auxílio internacional. No final de Janeiro contabilizavam-se cerca de 300 mil mortes em todo o sudeste asiático.
 
A AMI vem desenvolvendo um projecto sustentado p ós-crise essencialmente no Sri Lanka, tendo investido ao longo destes cinco anos quase dois milhões de euros dos 2,8 recebidos da sociedade civil.

 

1 comentário

Comentar artigo