Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

AMI - Age, Muda, Integra

Dia de África: crise económica trava combate à pobreza e fome - AMI desafia os seus mais de 80 mil fãs do Facebook a agir

No dia em que se celebra o Dia de África e numa altura em que os Objectivos do Milénio estão quase irremediavelmente comprometidos, a AMI desafia os seus fãs do Facebook a apoiarem a missão de desenvolvimento na Guiné-Bissau. O combate à pobreza e fome mundial está a abrandar substancialmente. Tendo como pano de fundo a mais recente crise económica dos países desenvolvidos, a torneira dos apoios está progressivamente a fechar-se, tendo atirado para a pobreza - só no ano passado - mais 90 milhões de pessoas. Os progressos feitos entre 1990 e 2005, altura em que se conseguiu diminuir de 1.8 para 1,4 biliões o número de indivíduos que vivem com menos de 1,25 dólares por dia, avançam agora a um passo demasiado lento, arriscando-se mesmo a parar. A África Subsaariana é, de longe, a zona do globo mais afectada pela pobreza. Reduzir, em apenas cinco anos, para metade uma taxa de pobreza que atinge mais de 50 por cento da população apresenta-se como uma tarefa hercúlea com um horizonte cada vez mais distante e utópico. O mesmo cenário se aplica ao drama da fome. A tendência de declínio da subnutrição iniciada em 1990, conheceu em 2008 uma perigosa inversão causada sobretudo pelo aumento dos preços dos alimentos. E se a incidência de pessoas subnutridas em África desceu de 20 por cento no início dos anos noventa para 16 por cento em 2005, estudos recentes da ONU apontam agora para uma inversão desta tendência. Nos cuidados de saúde, o cenário continua a ser preocupante e dramático. E os últimos anos não têm trazido boas notícias. 2005 foi o ano em que se bateu um triste recorde: 2,2 milhões de pessoas morreram de SIDA. Em 2006, a Malária matou 1 milhão de pessoas, 95 por cento das quais na África Subsaariana. Já em 2007, o número de pessoas infectadas com HIV atingiu o valor máximo nunca antes visto: 33 milhões, dois terços das quais residentes na África Subsaariana. Tendo em conta este cenário dramático, a AMI lança o desafio aos seus mais de 80 mil fãs no Facebook. No Dia de África, que se celebra amanhã, dia 25 de Maio, apelamos aos cibernautas para apoiarem a Missão de Desenvolvimento da AMI na Guiné-Bissau através da organização de eventos, festas temáticas ou convívios cujos fundos serão aplicados neste projecto que aposta na reconstrução de poços, plantação de hortas, trabalho comunitário com os jovens locais e formação de técnicos de saúde.