Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

AMI - Age, Muda, Integra

AMI espera aumento do número de catástrofes ambientais

Nem o compromisso em negociar, até 2015, um acordo vinculativo da redução das emissões de gases com efeito de estufa nem a força de lei que esse acordo vai ganhar chegam para disfarçar a desilusão que foi a Cimeira de Durban.

 

Um resultado inglório que não se limita ao facto do Canadá ter anunciado a sua intenção de abandonar o compromisso de Quioto - justificando-se com a crescente descredibilização deste e com o facto dos EUA e da China não o cumprirem. Mais grave ainda foi ter-se novamente adiado uma urgência e uma inevitabilidade. Neste caso, a de regular de forma concertada e alargada, a diminuição de emissões poluentes.

 

Com este protelamento, os efeitos do aquecimento global no clima vão continuar a ser uma ameaça séria à sustentabilidade e equilíbrio do nosso planeta. Os efeitos e consequências que estes causam são bem conhecidos. Uma vez que 2020 era considerada a data limite para alcançar uma redução significativa das emissões para não ultrapassar o aumento da temperatura do planeta de 2ºC, valor considerado máximo para as catástrofes ambientais não se tornarem imprevisíveis e incontroláveis, há todas as condições para se poder considerar que vai haver um aumento das catástrofes ambientais com efeitos devastadores.

 

Mais preocupante ainda, a seguir este caminho de contínuo adiamento e desresponsabilização, nomeadamente dos países mais ricos e também mais poluentes, é certo que as catástrofes ambientais serão generalizadas e afectarão indiscriminadamente qualquer país ou população.

Perante aquilo que se adivinha ser um inevitável aumento da frequência de catástrofes naturais, é também bom recordar que num momento de crise económica global, a disponibilidade de meios de socorro e de ajuda também conhecerá enormes limitações (como disso é exemplo o Haiti, onde apenas um terço da ajuda prometida foi disponibilizada), deixando as ONG’s e as Instituições de ajuda humanitária com enormes dificuldades em levar a cabo o seu trabalho.