Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

AMI - Age, Muda, Integra

AMI reforça equipa na Guiné-Bissau

A Fundação AMI envia, amanhã, mais dois elementos para a Guiné-Bissau com o objectivo de reforçar a equipa presente na Região Sanitária de Bolama e preparar uma eventual intervenção de emergência, caso a situação a tal obrigue.

 

A equipa parte amanhã às 22h10 de Lisboa e é liderada pelo administrador e director do departamento de Logística, José Luís Nobre que possui um profundo conhecimento da Guiné-Bissau e uma longa experiência de acções humanitárias, nomeadamente em cenários de guerra e conflito armado; o outro elemento, enfermeiro Ivo Saruga, director-adjunto para a Área de Emergência do departamento Internacional, participou na missão de emergência da AMI no Sri Lanka, onde permaneceu durante um ano e mais recentemente na missão no Haiti como coordenador. Irão juntar-se aos quatro elementos expatriados já no terreno: uma médica, um logístico, uma técnica de desenvolvimento e uma coordenadora de missão.

A equipa irá manter contactos no terreno com outros actores e instituições locais e com a Organização Mundial de Saúde que lidera a coordenação na área da saúde, em situações de crise.

 

A AMI está presente na Guiné-Bissau desde 1987, onde implementou a sua primeira missão de assistência médica no Boé. Em 1998, avançou para o terreno com uma missão de emergência, na sequência do levantamento da junta militar, encabeçada pelo Brigadeiro Ansumane Mané, contra as tropas governamentais de Nino Vieira.

 

Desde 2000, a AMI mantém uma missão de desenvolvimento na Região Sanitária de Bolama, cujas actividades estão parcialmente suspensas devido à impossibilidade de circulação de e para a capital.