Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

AMI - Age, Muda, Integra

Novo Centro Porta Amiga da AMI inaugurado em Almada

A Fundação AMI inaugurou hoje, às 11h00, as novas instalações do Centro Porta Amiga de Almada. A cerimónia foi presidida pela Directora do Centro Distrital da Solidariedade e Segurança Social de Setúbal, Ana Clara Birrento, em representação do Secretário de Estado da respectiva tutela, Marco António Costa, e pelo Presidente da AMI, Fernando Nobre, tendo ainda contado, entre outras, com a presença de António Matos, vereador da Câmara Municipal de Almada, em representação da Presidente da autarquia, Maria Emília Sousa.

 

Na cerimónia de inauguração, o presidente da AMI destacou a necessidade de “construirmos uma sociedade mais activa”. Fernando Nobre confessou ainda que “embora a AMI esteja a sentir uma quebra de donativos, a Fundação não irá baixar os braços e continuará a agir com determinação no combate à pobreza”. Para o Presidente da AMI, “estes equipamentos sociais não são centros assistencialistas, mas antes de orientação, acompanhamento e integração social.”

 

Da parte da Câmara Municipal de Almada, o vereador António Matos considerou a AMI “a voz inconformada e uma referência do ponto de vista institucional pelo trabalho que desenvolve na construção de um Portugal mais humanista e solidário”. Tendo ainda salientado o importante papel que a AMI desenvolve no apoio às pessoas em situação de sem-abrigo no concelho de Almada.

 

Finalmente, a Directora do Centro Distrital da Solidariedade e Segurança Social de Setúbal, Ana Clara Birrento reforçou a “necessidade do trabalho em conjunto entre governantes, poder local e sociedade civil”, classificando o Centro Porta Amiga como “um exemplo de qualificação de trabalho que é possível e importante desenvolver para melhorar as respostas sociais."

 

Esta nova infraestrutura social resulta das sinergias criadas pela AMI entre diversas entidades públicas, privadas e pela solidariedade da sociedade civil. Com um custo total de cerca de 420 mil euros, o Centro Porta Amiga de Almada contou, entre outros apoios, com o cofinanciamento público, cerca de 23%, e de diversas empresas, entre as quais a TMN, FNAC, SIBS, Fundação Axa, Abbott Laboratórios, Futuro SA e Microsoft, representando cerca de 32% do total orçamentado. A AMI investiu dos seus fundos próprios os restantes 45%.

 

Com uma área de 400 m², este equipamento insere-se na estratégia da Fundação AMI de combate à pobreza e à exclusão social. O Centro Porta Amiga de Almada conta com uma equipa multidisciplinar composta por dez técnicos e disponibiliza à população mais carenciada serviços como distribuição alimentar, refeitório, balneário, lavandaria, roupeiro, gabinetes de apoio social, psicológico e de enfermagem. A abertura deste novo centro justifica-se com a necessidade de melhorar a qualidade das respostas sociais prestadas pela Fundação, substituindo assim a anterior infraestrutura.

 

Desde a sua inauguração, em 1996, que o Centro Porta Amiga da Almada tem vindo a apoiar um cada vez maior número pessoas em situação de pobreza e exclusão social. Se no ano em que abriu as portas, esta estrutura atendeu 390 pessoas, no ano passado, atingiu o valor mais elevado de sempre: 1688 pessoas.

 

A Fundação AMI iniciou em 1994 uma estratégia integrada de acção social em Portugal assente em quatro eixos: Intervenção Social; Sustentabilidade; Qualidade; Investigação e Desenvolvimento. Actualmente, a AMI desenvolve a sua intervenção social em nove centros Porta Amiga (Olaias, Chelas, Cascais, Almada, Coimbra, Porto, Vila Nova de Gaia, Funchal e Angra do Heroísmo); dois Abrigos Nocturnos (Lisboa e Porto) e ainda numa Residência Social em Ponta Delgada.