Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

AMI - Age, Muda, Integra

Termos de Referência Chefe de Missão – Guiné-Bissau

472x315GB.jpg

DESCRIÇÃO:

A AMI é uma Organização Não Governamental portuguesa, privada, independente, apolítica e sem fins lucrativos. Desde a sua fundação, a 5 de Dezembro de 1984, a AMI assumiu-se como uma organização humanitária inovadora em Portugal, destinada a intervir rapidamente em situações de crise e emergência e a combater o subdesenvolvimento, a fome, a pobreza, a exclusão social e as sequelas de guerra em qualquer parte do Mundo.

 

O/A candidato/a selecionado/a irá integrar a Missão da Fundação AMI na Guiné-Bissau, sedeada na Região de Quinara.

 

O projeto “Intervenções de Alto Impacto: Saúde Comunitária em Quinara 2014-2016” teve início em maio de 2014 e decorrerá até julho de 2016. Tem como objetivo geral “Contribuir para a disponibilidade de serviços de saúde de proximidade às grávidas e crianças menores de 5 anos da Região Sanitária de Quinara”.

 

OBJECTIVOS DO POSTO DE TRABALHO:

O Chefe de Missão é o principal representante da AMI no país.

Deverá, por isso, coordenar a missão da AMI na Guiné-Bissau (Regiões de Quinara e Bolama), ao nível da gestão das equipas, recursos e contactos, bem como, garantir a implementação e seguimento do projeto “Intervenções de Alto Impacto: Saúde Comunitária em Quinara 2014-2017”, gerindo a parceria com a entidade co-financiadora (UNICEF) no terreno.

Deverá, também, apoiar e supervisionar eventuais projetos que sejam implementados na Região Sanitária de Bolama.

Deverá, ainda, propor estratégias de atuação futuras da AMI ao nível da saúde, elaborar e/ou apresentar projetos a financiamento e trabalhar em estreita articulação com o desk responsável, na sede, pela Guiné-Bissau.

 

Funções e responsabilidades:

1 – Ao nível da Chefia de Missão:

  • Representação da AMI (reuniões com outras entidades sempre que necessário);
  • Gestão das parcerias existentes e desenvolvimento de novas parcerias;
  • Exploração de novas linhas de financiamento e financiadores;
  • Supervisão das equipas e projetos da AMI nas Regiões Sanitárias de Quinara e Bolama;
  • Gestão da equipa expatriada (Quinara e Bolama):

  - Execução dos procedimentos oficiais para a entrada, permanência e saída do país;

  - Apoio e gestão da integração na missão e na equipa expatriada;

  - Apresentação de novos elementos a organizações e outros interlocutores;

  - Supervisão do cumprimento de procedimentos internos;

  • Gestão da equipa local (Quinara e Bolama):

  - Selecção e contratação;

  - Supervisão das tarefas a realizar.

  • Gestão logística dos recursos da AMI (casas, veículos, bens de missão);
  • Gestão financeira e contabilidade da missão;
  • Elaboração de relatórios e documentos internos destinados à sede da AMI em Lisboa;
  • Manutenção de um contacto regular com a sede que inclui a produção de relatórios internos periódicos;
  • Outras tarefas pontuais.

 

2 – Ao nível da gestão do projecto de saúde comunitária na Região Sanitária de Quinara:

  • Implementação de algumas das atividades do projeto;
  • Supervisão e apoio na implementação das restantes actividades do projeto;
  • Capacitação de parceiros locais na área da gestão;
  • Monitoria e avaliação;
  • Gestão administrativa, financeira e logística;
  • Elaboração de relatórios para financiadores nacionais e internacionais;
  • Participação em grupos de trabalho relacionados coma área de saúde comunitária no país.

 

PERFIL PRETENDIDO:

Requisitos obrigatórios:

  • Formação superior na área das ciências sociais ou saúde e/ou experiência profissional na área da Cooperação para o Desenvolvimento;
  • Experiência comprovada em gestão de ciclo de projetos de Cooperação para o Desenvolvimento;
  • Experiência de trabalho/voluntariado em países em desenvolvimento;
  • Capacidade de representação institucional;
  • Domínio de ferramentas Office;
  • Capacidade de integração em ambiente multidisciplinar e gestão de equipas;
  • Capacidade de adaptação a contextos isolados e condições adversas;
  • Espírito de trabalho em equipa.

 

Requisitos preferenciais:

  • Experiência prévia na Guiné-Bissau;
  • Experiência / conhecimento prévio da Saúde Comunitária na Guiné-Bissau;
  • Experiência em capacitação de parceiros locais.

 

CONDIÇÕES:

  • Duração: 6 meses, eventualmente renovável.
  • Local de trabalho: Guiné-Bissau, região sanitária de Quinara, cidade de Buba (base da missão), com deslocações à Ilha de Bolama e Bissau.
  • Condições oferecidas: Pacote de benefícios tabelado, que inclui mensalmente: ajudas de custo, subsídio de coordenação, subsídio de alimentação. É também disponibilizado alojamento e seguro internacional durante todo o período em missão. A Fundação AMI assegura também a viagem de início e fim da missão.

 

PROCESSO DE SELECÇÃO

Os interessados deverão enviar o mais brevemente possível um e-mail de candidatura, anexando o seu currículo vitae e carta de motivação para: Fundação AMI/Ângela Pedroso: angela.pedroso@ami.org.pt

Os candidatos seleccionados na primeira fase serão convidados a realizar uma entrevista na sede.

Por motivos de urgência a vaga será preenchida assim que se encontrar o perfil adequado.

Após ser selecionado, o voluntário deverá partir para o terreno o mais rapidamente possível (mês de março 2016).