Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

AMI - Age, Muda, Integra

18.º Prémio AMI Jornalismo Contra a Indiferença

jornalismocontraaindiferencaAMI.PNG

 

As peças “Os Sobreviventes” da jornalista Sofia Arede da SIC e “A Juventude em Jogo” um projeto de jornalismo multimédia e de dados da jornalista Sofia da Palma Rodrigues (Divergente), inicialmente lançado pela publicação Divergente.pt e posteriormente adaptado à imprensa e publicado no jornal “Público” foram as vencedoras da 18ª edição do Prémio AMI - Jornalismo Contra a Indiferença.

 

O júri, constituído por Catarina Gomes e Pedro Miguel Costa, vencedores da edição anterior, Maria José Mata, representante da Escola Superior de Comunicação Social, Francisco Lemos, Amigo da AMI, e Fernando Nobre, Presidente da AMI, decidiu distinguir também mais três trabalhos com uma menção honrosa: “O Amor não Mata” de Ana Sofia Fonseca, da SIC, “Um Lar Debaixo da Ponte”, de Catarina Canelas, da TVI, e “O que é isso de Vida Independente” de Vera Moutinho, do Público.

 

Sobre os trabalhos premiados, o júri, cuja decisão foi unânime, considerou que a peça de Sofia Arede dá voz através de uma criança aos milhões que arriscam a sua vida e a dos seus para chegar a porto seguro, pelo que o júri enaltece a riqueza da abordagem e sensibilidade da narrativa; o trabalho de Sofia da Palma Rodrigues (Divergente) aborda de forma inovadora o percurso tortuoso de muitos adolescentes aliciados a vir para a Europa à procura do sonho do estrelato nas quatro linhas, tratando-se de um projeto de jornalismo independente que aborda de forma singular o que passa ao lado de muitos espectadores.

 

O júri considerou, ainda, que a reportagem de Ana Sofia Fonseca sublinha um tema atual com uma qualidade técnica que a distingue; o trabalho de Catarina Canelas distingue-se por mostrar como dois homens constroem laços em ambiente adverso; e a peça de Vera Moutinho conseguiu aliar o domínio técnico à capacidade de mostrar momentos de rara intimidade.

 

Os jornalistas galardoados com o 1.º Prémio receberam €7.500 cada e uma escultura da autoria de João Cutileiro, estendendo-se esta última distinção aos autores dos trabalhos galardoados com menções honrosas.

 

A entrega deste prémio, cofinanciado pelo Novo Banco, decorreu no dia 26 de abril na Escola Superior de Comunicação Social (ESCS) e foi antecedida por uma
mesa redonda dedicada às “Agendas do Jornalismo”. Ao longo do debate, Raquel Abecasis (RR), Leonídeo Paulo Ferreira (DN), Catarina Gomes (Público) e Ricardo Alexandre (RTP/RDP), moderados pela professora Fernanda Bonacho (ESCS) abordaram algumas das questões mais sensíveis e delicadas com que jornalimo e jornalistas se defrontam.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.