Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

AMI - Age, Muda, Integra

Equipamento financiado pela AMI integrado no sistema de Saúde do Senegal

Presente no Senegal desde 1996, a AMI tem uma relação especial com este país africano, onde 27 mil pessoas estudam a língua portuguesa.

Ao longo de 15 anos, a AMI financiou inúmeros projectos de assistência médica e de apoio ao desenvolvimento em quatro das onze regiões do Senegal (Thiès, Ziguinchor, Diourbel e Dakar), beneficiando mais de 40 aldeias e uma população superior a 100 mil pessoas.

Do projecto de reforço e fortalecimento do processo de Paz em Casamança à recuperação de património histórico na ilha de Gorée, o envolvimento da AMI no Senegal mostrou, ao longo dos anos, ser intenso e continuado. Um envolvimento que mereceu o ano passado a distinção, por parte do Governo senegalês, do Presidente da AMI com as insígnias de Cavaleiro da Ordem Nacional do Leão, assim como a de Embaixador de Boa-Vontade Contra a Escravatura da ilha de Gorée.

Um dos melhores exemplos da acção da AMI neste país é dado pelos múltiplos projectos de recuperação de infra-estruturas e, sobretudo, pela construção, com financiamento da AMI, de muitas outras: onze postos de saúde, seis centros da promoção da formação a mulheres, uma sala de aula, seis unidades de moagem de cereais e dois poços para extracção de água. Estas acções foram feitas sempre em parceria com a ONG local APROSOR (Association pour la Promotion Sociale en Milieu Rural et Urbain), uma colaboração que se revelou ainda essencial para que a AMI fosse a primeira ONG
em território guineense por altura do levantamento militar em 1998.

Fernando Nobre, Presidente da AMI, acaba de regressar do Senegal com a notícia de que o Complexo de Saúde de Reo Mao (na região de Thiès), que inclui Posto de Saúde, Maternidade e Centro de Recuperação Nutricional, acaba de ser integrado no sistema nacional de saúde senegalês. Um marco importante que premeia o esforço e a dedicação da AMI na reabilitação e na melhoria da prestação de cuidados de saúde à população senegalesa.

Finalmente, foi também no Senegal que a AMI lançou, há quatro anos, o projecto Aventura Solidária, com o triplo objectivo de financiar projectos sustentáveis, fixar as populações locais e estabelecer pontes entre culturas, permitindo desde então, que 120 pessoas pudessem financiar e conhecer como foi utilizado o seu donativo.

Fernando Nobre condecorado pelo Senegal

 

 

O presidente e fundador da Assistência Médica Internacional (AMI), Fernando Nobre recebe amanhã das mãos do Embaixador do Senegal em Portugal, General Pathé Seck, as insígnias de Cavaleiro da Ordem Nacional do Leão.  A cerimónia está marcada para as 18h00, no Hotel Tivoli, em Lisboa.

 

A atribuição desta condecoração surge como reconhecimento do trabalho humanitário que a AMI tem vindo a desenvolver no Senegal há 14 anos.

 

Ainda no passado dia 6, a AMI inaugurou o Centro de Saúde de Katack, na província de Casamança. Orçamentada em 20 mil euros, a infra-estrutura situada perto da fronteira com a Gâmbia apoia mais de 13 mil pessoas.

 

Desde 1996, AMI tem vindo a desenvolver projectos de apoio à população senegalesa, nomeadamente centros de saúde, em parceria com a APROSOR (Association pour la Promotion Sociale en Milieu Rural et Urbain), à razão de 10 a 20 mil euros anuais.

 

 

De registar ainda, que em 2007, a AMI criou o projecto “Aventura Solidária” que consiste em levar até ao Senegal voluntários dispostos a conhecer a cultura local e contribuir para o seu desenvolvimento. Para além de colaborarem nos trabalhos de reabilitação identificados e desenvolvidos pelos locais, contribuem para o financiamento destes microprojectos, tendo já permitido, entre outros, a reabilitação da maternidade de Réo Mao, o apoio para a criação de uma tinturaria em Réfane e o apoio à escola de ensino médio de Réfane.

 

De salientar ainda o projecto de recuperação da primeira capela construída por portugueses no séc. XV na Ilha de Gorée. Património representativo da presença portuguesa no Senegal, o edifício, hoje posto da Polícia, foi recuperado pela AMI em 2005.

Senegal: AMI inaugura hoje Centro de Saúde em Casamança

A Assistência Médica Internacional (AMI) inaugura hoje na província de Casamança, no Senegal, o Centro de Saúde de Katack. Orçamentada em 20 mil euros, a infra-estrutura situada perto da fronteira com a Gâmbia irá servir mais de 13 mil pessoas.

Recorde-se que desde 1982, o Movimento de Força Democrática de Casamança luta pela independência desta província do Sul do Senegal. Ainda no início desta semana, os separatistas envolveram-se em confrontos com o exército senegalês, reacendendo assim o clima de tensão e violência nesta região.

Refira-se que José Luis Nobre, administrador da AMI, viajou até Dakar, tendo optado por seguir por via marítima ate Ziguinshor, em detrimento do percurso anteriormente programado por terra, por razões de segurança. Chegou ontem ao destino, passando dois dias no mar seguidos de duas horas de percurso por terra ate Katack.

A construção deste centro de saúde insere-se no “Programa de Reforço do Processo de Paz em Curso”. Iniciado em 2005, este projecto da AMI pretende promover a melhoria das condições de acesso à saúde da população local. No âmbito deste mesmo programa, a AMI já financiou a construção do Centro de Saúde de Djignaky.

A AMI actua no Senegal desde 1996 financiando projectos de desenvolvimento, em parcerias com a ONG local APROSOR.